Escolha uma Página

pepino

PEPINO

O pepino (Cucumis sativus L.) pertence à mesma família do maxixe, das abóboras, dos melões e da melancia. Embora a maior parte das plantas do gênero tenha origem na África, esta parece ter surgido no Himalaia, na Índia. Depois, foi levada para a China, Filipinas e Ilhas Formosas. Hoje está no mundo todo. O japonês (aonaga) é um dos cinco grupos de pepino. Os outros são o comum, o holandês, o caipira e o industrial, para conserva. Embora haja muitas variedades do japonês, a maioria híbrida, todos são alongados e têm casca fina, verde-escura e com saliências, agradável de se comer, e polpa clara e crocante, com pouca ou nenhuma semente. Vítima de tabus e superstições, o pepino é considerado por alguns como indigesto e até venenoso, quando ingerido com leite. De fato, é pouco tolerado por certas pessoas, mas não pela maioria. E não tem nada de venenoso. Aliás, algumas saladas clássicas feitas com ele levam molhos lácteos, com iogurte ou creme azedo. Ingrediente refrescante e pouco calórico, é usado principalmente cru, com ou sem casca e sementes, mas também pode ser grelhado, cozido no vapor, aferventado ou combinado com outros legumes, em sopas. Vai bem com temperos como menta, poejo e folhas e sementes de endro, cominho e alcaravia, sendo guarnição freqüente para peixes e frutos do mar. Entra nos sushis japoneses e em sopas geladas, como o gaspacho espanhol, além de recheios para sanduíches, sorvetes e musses. É, ainda, ótima base para canapés, coberto ou recheado com pasta de salmão ou de caranguejo, cream cheese ou caviar.